quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Céu de Brasília Janeiro/2015

"Céu de Brasília, traço do arquiteto, gosto tanto dela assim..." 

Lago, espaço, arquitetura, arte, beleza, céu, infância, juventude, azul, meu povo, minhas raízes, referências, saudade, carisma, encanto, fascinação:
         "Esse imenso, desmedido amor
      Vai além que seja o que for
  Vai além de onde eu vou
Do que sou, minha dor
       Minha Linha do Equador..."
















 "Mas é doce morrer nesse mar de lembrar
E nunca esquecer
Se eu tivesse mais alma pra dar, eu daria
Isso pra mim é viver..."



Linha Do Equador
Djavan

Luz das estrelas
Laço pro infinito
Gosto tanto dela assim
Rosa amarela
Voz de todo grito
Gosto tanto dela assim

Esse imenso, desmedido amor
Vai além de seja o que for
Vai além de onde eu vou
Do que sou, minha dor
Minha Linha do Equador

Esse imenso, desmedido amor
Vai além que seja o que for
Passa mais além do

Céu de Brasília
Traço do arquiteto
Gosto tanto dela assim
Gosto de filha, música de preto
Gosto tanto dela assim

Essa desmesura de paixão
É loucura de coração
Minha Foz do Iguaçu
Pólo Sul, meu azul
Luz do sentimento nu

Esse imenso, desmedido amor
Vai além que seja o que for
Vai além de onde eu vou
Do que sou, minha dor
Minha Linha do Equador

Mas é doce morrer nesse mar de lembrar
E nunca esquecer
Se eu tivesse mais alma pra dar, eu daria
Isso pra mim é viver

Céu de Brasília
Traço do arquiteto
Gosto tanto dela assim
Gosto de filha, música de preto
Gosto tanto dela assim

Essa desmesura de paixão
É loucura de coração
Minha Foz do Iguaçu
Pólo Sul, meu azul
Luz do sentimento nu

Esse imenso, desmedido amor
Vai além que seja o que for
Vai além de onde eu vou
Do que sou, minha dor
Minha Linha do Equador

Mas é doce morrer nesse mar de lembrar
E nunca esquecer
Se eu tivesse mais alma pra dar, eu daria
Isso pra mim é viver

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos interagir, que tal deixar um feedback?