terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Tapiocando com fé eu vou…

Já há muito tempo venho tentando “tapiocar”, mas nunca tinha conseguido nada além de uma “lama de polvilho”. Para acabar de vez com meu dilema: enfrentar ou desistir , decidi colocar a mão na massa literalmente e tentar tudo na minha nova produção. Nunca achei uma receita que funcionasse pra mim, até o dia que resolvi aceitar os conselhos da minha mãe e ir misturando a água e o polvilho bem devagar. Era preciso aprender a ter paciência, “entender o polvilho”, criar uma relação de carinho com a massa; todavia eu, Alessandra, que não sinto falta de nenhum processo demorado na cozinha, fui me rendendo e aprendendo… vocês não imaginam a sujeira e as risadas… por último, eu misturava um pouco de água na massa, peneirava e fazia uma única tapioca para ver dava para comer/morder; mas com muita paciência e dedicação, fui conseguindo, e as últimas já ficavam enroladas - quando provei a minha primeira tapioca que consegui enrolar, me senti tão feliz, que quase gritei de alegria: Aleluia, Deus é brasileiro mesmo!!!

Evolução das minhas  tapiocas em fotos:

As primeiras nem enrolavam, as seguintes tinham que ser presas…
P1090574P1090575
Na sequência, a coisa ia melhorando, já dava pra colocar queijo dentro e fingir que enrolava - eu tinha às vezes que pincelá-las com água e esquentar no microondas para conseguir comer :-).
P1090573P1090591
E as últimas já estão saindo assim: LINDAS E ENROLADAS, falta só acertar melhor na quantidade de água.
P1090592
E agora atenção: minha grande conquista culinária escondida em uma Tupperware de verdade :-).
P1090589P1090590
E SALVE OS CONSELHOS DE MÃE, MINHA GENTE!

5 comentários:

  1. Hummmmmm, a última tapioca ficou bonita e parece apetitosa! Deu água na boca. E você tem razão, esses processos demorados na cozinha, exigem paciência, senão como diziam os antigos: a massa desanda! Bom apetite Alessandra! En guete!!

    ResponderExcluir
  2. Essas aventuras na cozinha são sempre muito divertidas, Alessandra! Pelas fotos da para notar que as tapiocas evoluíram mesmo. Que bom! Só faltou passar a receitinha ;-)
    Um grande abraço,
    Lu

    ResponderExcluir
  3. Que legal, conseguiste!
    Eu ainda não encontrei uma receita boa!
    Mais é maravilhoso quando conseguimos um feito assim!?
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  4. Depois de tanto tempo acompanhando seus post e fotos maravilhosas, decidi hoje, praticamente um feriadão, e a Internet está amiga. Nunca consegui fazer desse jeito da farofinha úmida, sabe como é infalível pra mim?? eu ponho uma xícara de polvilho doce numa vasilha e ponho água até ficar um dedo acima e misturando bem para depois descansar para separar as duas partes, daí retiro a água toda e enxugo num papel toalha retirando bem a umidade até que ela fique quebradiça e passo na peneira, o segredo mesmo é retirar o excesso de água, e o papel ajuda bem, ou um pano de algodão e voi lá. Há vídeos mostrando esse processo no youtube: http://www.youtube.com/watch?v=yd4vnkXX0pw

    ResponderExcluir
  5. Wilma, seja bem-vinda ao Blog!!! Muito obrigada pela dica - irei testar assim que possível. Grande abraço :-)

    ResponderExcluir

Vamos interagir, que tal deixar um feedback?